Início » Noticia » Ophir Loyola recebe exposições sobre câncer de mama e câncer de colo de útero
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Ophir Loyola recebe exposições sobre câncer de mama e câncer de colo de útero

Localização

Brasil
BR

 

O Hospital Ophir Loyola recebeu até esta terça-feira(30), a exposição “A Mulher e o Câncer de Mama no Brasil”, que aborda os aspectos culturais, médicos e históricos das mamas com foco especial no câncer e nas ações para o seu controle no país. Também estará disponível a exposição “A mulher e o Câncer de Colo de Útero”, que traz informações sobre o enfrentamento deste tipo de câncer até os dias atuais.  

As exposições trazem 44 painéis, frutos do projeto História do Câncer - atores, cenários e políticas públicasparceria entre o Instituto Nacional do Câncer e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). As temáticas refletem dois tipos de cânceres que mais afetam a população feminina. Das 1803 mulheres em tratamento contra o câncer no Hospital Ophir Loyola, 507 tem câncer de mama (28,1%) enquanto 461 apresentam a doença no colo do útero (25,6%). Mais de 30% já chega ao hospital no estágio II da doença, quando já está localmente avançada com comprometimento do sistema linfático ou espalhada por mais de um tecido. Do total de 507 casos, o hospital conseguiu estabilizar ao final do primeiro tratamento, 355 (70,02%) casos, ou seja, doentes de fora do risco de óbito.

Mais do que outra parte do corpo, os seios são fontes de diferentes simbologias em várias culturas. Órgãos da amamentação e símbolo da feminilidade, eles são ao mesmo tempo, fonte de inspiração, desejo e ternura. Na intimidade, associam-se à sexualidade e ao prazer, mas também podem expressar ousadia e protesto, contudo as mamas também adoecem e são acometidas pelo câncer, a principal causa de mortalidade por câncer em mulheres no Brasil.

O câncer do colo do útero pode ser prevenido em praticamente 100% dos casos, mas é o terceiro tipo da doença que mais acomete as mulheres. Na Região Norte, representa ainda o tipo de câncer mais comum na população feminina, sendo considerado um problema de saúde pública nacional e atinge principalmente as mulheres com dificuldade de acesso aos serviços de saúde. A doença pode ser evitada e diagnosticada precocemente por meio do exame preventivo, o Papanicolau, que deve ser feito em mulheres com vida sexualmente ativa, pelo menos uma vez ao ano. Esse é o tumor com maior potencial de prevenção e cura quando diagnosticado em estágio inicial.

Por Leila Cruz